quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Ligação de um conta rotações

O Conta rotações:
O conta rotações é um instrumento criado para medir as rotações por minuto de um motor, daí a designação RPM (Rotações Por Minuto).

O conta rotações funciona medindo, numa linha de tempo, as variações de tensão da bobina; por exemplo 4000 variações de tensão em 1 minuto, num motor de 4 cilindros correspondem a 1000 RPM. 

Ligar um conta rotações aos nossos Pandas é fácil, basta saber onde ligar o fio do conta rotações que recebe o sinal, normalmente de cor verde.

Para as ligações recomendo que se usem ligadores rápidos).

Nos Pandas a carburador a captação do sinal, é feita ao negativo da bobine de ignição (fio castanho e branco):
(Clicar para aumentar)
Legenda:
A – Conta Rotações (com captação de sinal ao negativo)
A1 – Massa
A2 - Positivo – Liga ao positivo da bobine de ignição ou ao comutador da chave de ignição
A3 – Sinal
A4 - Massa (iluminação do conta rotações)
A5 - Positivo (iluminação do conta rotações) - Liga ao interruptor de iluminação 
B – Bobine de Ignição
B1 – Negativo (vindo do modulo de ignição eletrónica) - Cor: Castanho e Branco
B2 – Positivo (vindo do comutador da chave de ignição) - Cor: Azul e Preto
B3 – Positivo (para do modulo de ignição eletrónica) - Cor: Azul e Preto
C – Ligador rápido 

Nos Pandas com motores do tipo SPI (injecção monoponto) a captação do sinal é feita ao pino 23 da centralina ou ao cabo que liga ao mesmo.
(Clicar para aumentar)

Nos Pandas com motores do tipo MPI (injecção multiponto) a captação do sinal é feita ao pino 4 da centralina ou ao cabo que liga ao mesmo.
(Clicar para aumentar)

Outra opção para os motores SPI e MPI e de ligar o fio verde, de captação do sinal, do conta rotações ao negativo das bobines:
(Clicar para aumentar)
Legenda:
A – Conta Rotações (com captação de sinal ao negativo)
A1 – Massa
A2 – Positivo – Liga ao comutador da chave de ignição
A3 – Sinal
A4 - Massa (iluminação do conta rotações)
A5 - Positivo (iluminação do conta rotações) - Liga ao interruptor de iluminação 
B – Díodos 
B1 – Díodo Zener 1N5355B
B2 – Díodo 1N1004
B3 – Díodo 1N1004
C – Bobines de Ignição 
C1 – Positivo, vindo da chave de ignição (a cor varia consoante o tipo de injecção e centralina)
C2 – Negativo, vindo da centralina (a cor varia consoante o tipo de injecção e centralina)
C3 – Positivo, vindo da chave de ignição (a cor varia consoante o tipo de injecção e centralina)
C4 – Negativo, vindo da centralina (a cor varia consoante o tipo de injecção e centralina)
D – Ligador de Compressão 
E – Chave de Ignição 
F – Centralina
F1 – Sinal para o conta rotações (Pino 23 SPI / Pino 4 MPI)

Notas:
  • As representações dos pinos das bobines e centralinas são reais, pelo que para identificar onde se fazem as ligações só cruzar o desenho com os componentes referidos.
  • Os díodos e fios devem estar soldados entre si e isolados com manga Termo-retráctil. Em alternativa podem usar ligadores eléctricos e isolar com fita isoladora.
(Clicar para aumentar)

Exemplos de montagem:
 (Clicar para aumentar)

Agradecimentos:
Obrigado ao Pandista Pedro Mota pela informação acerca do Country Club de 1993 (motor SPI)

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Jogo Flappy Panda (Android)

  
Flappy Panda é um jogo de acção do estilo "arcade", para Android.
O jogo coloca-o no controlo do Pandista do Norte que precisa atravessar um percurso cheio de obstáculos, devendo bater os seus recordes de pontuação.
Os comandos do Flappy Panda são extremamente simples, bastando tocar no ecrã para que o Pandista vá para cima. No entanto, é preciso ter muita coordenação e reflexos para calcular a trajectória exacta do Pandista, evitando que ele caia no chão ou esbarre nos obstáculos que vão aparecendo pelo caminho.
O objectivo é atravessar o maior número de espaços entre os muros, somando os pontos que serão indicados na parte de cima da interface e contabilizados ao final das partidas.
Com um visual retro e uma jogabilidade limitada, Flappy Panda é um passatempo divertido, leve e viciante, que consegue prender fácil e rapidamente a atenção daqueles jogadores que gostam de testar os seus reflexos e bater recordes.
 Clicar nas imagens para aumentar

Download:
Clique na imagem para iniciar o download


Como instalar:

Passo 1 – Assegurar que tem um telemóvel ou tablet Android com a versão 2.2 ou superior do sistema operativo. Atualmente quase todos os utilizadores Android asseguram este requisito, de acordo com dados oficiais da Google 

Passo 2 – Descarregar o pacote da aplicação que vai ser instalada no telemóvel.

Passo 3 – Se fez o download no telemóvel ou tablet, o que se aconselha, basta depois carregar na notificação de transferência; se fez o download no computador, terá que passar o ficheiro Flappy_Panda.apk para o telefone através de Wi-Fi, Bluetooth ou cabo USB; use um gestor de ficheiros no telemóvel para encontrar a localização do pacote de instalação.

Passo 4 – Nas Definições do telemóvel, navegue até ao separador Segurança; aí permita que aplicações de fontes desconhecidas possam ser instaladas no telemóvel.

Passo 5 – Seleccione o ficheiro Flappy_Panda.apk; avance no processo de instalação até o mesmo estar concluído.

Passo 6 – Nas Definições do telemóvel, navegue até ao separador Segurança; e volte a não permitir que aplicações de fontes desconhecidas possam ser instaladas no telemóvel 

Passo 7 – Execute a 
aplicação.

Nota: Esta aplicação não esta no "Google Play" porque exigem cerca de 25€ para a colocar la!!!!!!

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

FIAT ePER - Catálogo de peças online do Grupo FIAT

O FIAT ePER é um catálogo e preço de peças online, permitindo a selecção de todos os componentes para as viaturas do Grupo FIAT, sem a necessidade de se deslocar a lojas ou telefonar.

Para usar basta clicar no na imagem abaixo, seleccionar; o país, linguagem e qual a marca do Grupo FIAT (tudo no canto superior direito) > De seguida clicar em "Spare Parts (no lado esquerdo)

Clicar na imagem para abrir o ePER

quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Hi-Lift - Segurança, Utilização, Aplicações, Transporte e Manutenção

 
O Hi-Lift é um equipamento essencial para quem anda em locais de difícil progressão. Tarefas que exigem levantar o Panda, puxá-lo para trás, para o lado ou para frente, tem no Hi-Lift o equipamento perfeito para o serviço.

Um pouco incómodo para se transportar, tem na sua utilização a recompensa do peso extra, além de ser uma alternativa para quem não tem um guincho.

Uma das suas muitas virtudes, dependendo do modelo escolhido, é a de levantar um Panda até 1,5 m de altura. Isto torna-se útil em todo-o-terreno ou em uma manutenção de emergência. Outro pormenor é que sua garra fica apenas a poucos centímetros do solo, possibilitando mesmo com o Panda completamente atascado, encontrar facilmente um ponto de apoio para tentar contornar o problema.

Para aproveitar toda a versatilidade do equipamento, os Pandas exigem a adaptação de pontos de fixação suplementares. Estes devem ser instalados após a aquisição do Hi-Lift, para que os responsáveis pelo serviço tenham a exacta noção das alterações que serão necessárias como, por exemplo, o prolongamento de bases de apoio a partir da carroceria, por forma a que o Hi-Lift se possa encaixar e o usar em pleno. Da mesma forma que o Panda pode necessitar de adaptações, a própria garra de apoio do Hi-Lift também pode sofrer alterações. Tudo fica ao critério do Pandista.

Quando estiver em terreno composto por areia ou lama, a tendência da base do Hi-Lift é de se afundar na medida em que se tenta levantar o Panda. O Hi-Lift tem uma base de apoio com grande área de contacto com o solo, mas pode-se reforçar as suas qualidades colocando uma placa de madeira de 40 x 40 cm, aumentando a sua base de apoio. Esta placa pode ser preparada com uma saliência no meio, para que o Hi-Lift se encaixe e não escorregue, quando estiver em operação.

A capacidade de carga para todos os modelos é de 3.000 kg, com excepção do modelo de 1,5 m, que tem capacidade de carga de 1.800 kg para os últimos 50 cm de curso superior.


Segurança:
  • Usar sempre luvas na utilização do Hi-Lift.
  • Estabilizar o Panda de maneira a não se movimentar enquanto é elevado. Para isso utiliza-se blocos (cunhas) de madeira ou pedras para "calçar" as rodas.
  • Manter a alavanca na vertical, encostada à coluna principal do Hi-Lift e travada com o fecho de segurança enquanto não a estiver em utilização.
  • Posicionar a base do Hi-Lift em local plano, firme e uniforme, com a alavanca ainda na vertical.
  • Durante o uso ficar atento a eventuais movimentos quer do Panda, quer do Hi-Lift. Se se verificar, parar imediatamente a operação e estabilizar a carga.
  • Quando o Panda estiver à altura pretendida, meter a alavanca na vertical e em segurança, bloquear a carga com macacos, suportes de madeira, blocos, pneus ou outro material resistente que impossibilite o Panda de cair abruptamente.
  • Nunca deixar que ninguém se coloque debaixo do Panda, enquanto este estiver a ser içado pelo Hi-Lift e enquanto não estiver bem seguro por macaco auxiliares ou outros.
  • Não colocar o Hi-Lift em partes arredondadas do Panda para que a garra não deslize.
  • Ter em atenção à capacidade de carga e de tensão dos cabos, cintas e correntes se se utilizar o Hi-Lift como guincho. O rebentamento dos mesmos farão um efeito de ricochete muito perigoso. Colocar sempre uma peça de vestuário, ou outro que possa “travar” o ricochete, sobre eles.


Utilização:

Antes de levantar o Panda, travar as rodas para que não rodem.

Colocar a trava reversora na posição superior, levantar com a mão o conjunto motriz até encostar em um ponto de apoio, do Panda, e iniciar o movimento da alavanca em todo seu curso, de cima para baixo, tendo em atenção aos "clicks" que ela emitirá nos extremos do curso. Este barulho significa que os pinos estão a funcionar normalmente. Após escolher a altura ideal, manter a alavanca na posição de repouso, PARA CIMA e junto à barra de guia.

Para descer, manter a alavanca erguida e só então, libertar a trava reversora movendo-a para baixo. De seguida iniciar o movimento da alavanca, para baixo e para cima, segurando-a com firmeza.

Soltar a trava reversora com a alavanca baixada, provoca o movimento violento de sobe e desce da alavanca, resultado do peso suportado pelo Hi-Lift. Qualquer tentativa de o segurar pode causar sérias consequências como; fractura do braço, pulso ou dedos.

Apesar da robustez do Hi-Lift nunca confiar nele a 100%, travar SEMPRE a alavanca e o mecanismo após levantar o Panda. O procedimento é simples e pode ser feito com apenas um parafuso e uma porca. Tudo o que se tem a fazer é colocar o parafuso e fixá-lo com a porca, no primeiro chanfro da barra guia logo abaixo do mecanismo e da alavanca. Com o parafuso naquele local se houver qualquer falha na trava do Hi-Lift, o sistema desce até encontrar o parafuso e parar, evitando assim que o Panda desça rapidamente e possa causar algum acidente. Manter este parafuso e a porca presos em algum lugar do Hi-Lift ou em um local no Panda onde não o possam perder.


Aplicações do Hi-Lift:

Para um Panda atascado o Hi-Lift pode ser muito útil, porque poderá levantá-lo a uma boa altura facilitando a colocação de pedras, pedaços de madeira ou prancha de desatasco sob os pneus, criando, assim, uma superfície firme.
  
Clicar nas imagens para aumentar


Outro uso comum para o Hi-Lift é erguer o Panda, facilitando a sua progressão, quando a operação de puxar ou empurrar for muito difícil ou ate impossível. Após a elevação à altura desejada, colocar uma corda ou cinta na ponta superior do Hi-Lift e puxar para inclinar o Hi-Lift, ate que este caia para o lado desejado. Esta é uma boa técnica para se colocar as rodas em terreno mais estável.

 
 Clicar nas imagens para aumentar


Caso o Panda saia do percurso, ficando de lado temos novamente no Hi-Lift um aliado para mais esta tarefa. Procurar um ponto de ancoragem, do lado do percurso que se deseja puxar o Panda de volta, depois identificar o melhor ponto de fixação do cabo ou cinta, seja na lateral do Panda, no engate de reboque traseiro ou em algum ponto de reboque dianteiro. Repetir a operação de puxar e reajustar o comprimento do cabo ou cinta, até que o Panda volte para o percurso.
 Clicar nas imagens para aumentar

Outra uma virtude deste grande aliado é a capacidade de substituir ou auxiliar o guincho nas operações de resgate. Para isto, fixar no ponto de reboque do Panda uma ponta de um cabo ou cinta, e a outra ponta no limite superior da barra de aço do Hi-Lift. De seguida usar outro cabo ou cinta, fixar uma das pontas na garra do mancal de apoio do Hi-Lift e a outra em qualquer ponto de ancoragem confiável. Caso o ponto de ancoragem seja uma árvore, usar sempre uma cinta. Iniciar o movimento com a alavanca. O Hi-Lift tem condições de puxar ou soltar o Panda, tudo dentro do curso disponível. Toda vez que se esgotar o curso deverá calçar o Panda, diminuir o comprimento do cabo e repetir a operação. Para a maioria das situações, três operações devem ser suficientes para ajudar o Panda a sair da imobilidade.

Clicar na imagem para aumentar

​Por vezes é necessário fazer uma ancoragem de segurança, antes de se transpor um obstáculo. Por exemplo, quando se está a passar um percurso lamacento, em curva, com inclinação lateral e existe o perigo de escorregar para uma vala ou ravina. Neste caso, recomenda-se que seja feita uma ancoragem do Panda do lado contrário ao movimento de deslize, proporcionando que o Panda faça a curva num movimento concêntrico.
​É possível que haja dificuldade em fazer o movimento em perfeita semicircunferência. Neste caso e como há grandes probabilidades de que a ancoragem venha a criar folgas, utiliza-se o Hi-Lift como intermediário (ver a solução acima explicada) entre o Panda e o ponto de ancoragem. Retira-se então o Hi-Lift antes de reiniciar o movimento. À medida que o Panda se movimenta e caso este movimento provoque folgas na ancoragem, o Hi-Lift deverá ser recolocado e movimentado em sentido ascendente, por forma a eliminar a folga.

Pode-se usar o Hi-Lift para remover obstáculos que estiverem no caminho como por exemplo árvores.

Muitos outros usos existem, que apenas se irão revelar quando se confrontarem com as situações.


Transporte e Manutenção:

O transporte, ao contrário do que se vê em fotografias, não deve ser feito expondo o equipamento ao pó, chuva e areia, mas sim acondicionado em local protegido dos elementos.

A manutenção é extremamente simples, após o uso remover a lama e areia lavando com água. No final deitar uma camada de WD-40, para lubrificar os mecanismos e guardar em um lugar seco. Se o armazenar por um longo período de tempo, use spray de silicone.


Manual de Instruções:
Clique na imagem para iniciar o download

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

SEAT Marbella (Manual de Oficina) - Em espanhol

Mais uma prenda de Natal para os SEAT Marbella!
Aqui fica o Manual de Oficina deste modelo, em espanhol.

Download:

Clique na imagem para iniciar o download

terça-feira, 21 de novembro de 2017

SEAT Marbella (Manual de Instruções) - Em espanhol.

E porque os SEAT Marbella, também são Pandas, tem como base o Panda 45 que a SEAT usou com autorização da FIAT. Aqui deixo o Manual de instruções deste modelo, em espanhol.

Download:
Clique na imagem para iniciar o download

sábado, 11 de novembro de 2017

Fiat Panda 141 e 141A (Uso e Manutenção)


O Natal esta a chegar e aqui vai uma prenda do Pandista do Norte, nada mais nada menos que uma raridade, o Guia de Uso e Manutenção do Panda 141 e 141A (Panda Clássico).

Download:

Clique na imagem para iniciar o download

terça-feira, 25 de julho de 2017

RTA Fiat Panda. Estudo Técnico e Prático

Após algum tempo de inactividade eis-me de volta às lides Pandistas! 
Deixo aqui algo útil para os Pandistas, nada mais nada menos do que um bíblia para os Pandas, a "Revista Técnica Automovél, Estudo Técnico e Prático - Panda 750, L, 1000, CL/S e 4x4.

Download:
Clique na imagem para iniciar o download.


Enviado por um Pandista anónimo, obrigado pela contribuição.